sábado, 8 de março de 2008

Dr. Walter e o bispo da cor errada

Conheci Dr. Walter num jantar com biritas na casa de um amigo. Ao nos apresentar
nosso anfitrião disse:
- Mário, este é o meu vizinho, Dr. Walter Newman, mestre na arte da medicina.
- Dr. Walter, este é um colega do banco, Mário Sérgio, mestre no xadrez.
Imaginei ter recebido tal título para não ser apenas um pé-rapado, na falta de uma
melhor qualificação! Foi assim que nos tornamos amigos e descobrimos nossa paixão
mútua pelo xadrez. Em nossos esporádicos encontros pelas ruas o final do papo era
sempre o mesmo: "precisamos marcar um dia e jogar umas partidas".

Algum tempo depois esse mesmo amigo "armou" uma feijoada e me disse "Dr. Walter
pediu para você levar o xadrez". Levei o xadrez e levei ferro! Quando o homem deu
as caras eu já tinha a "vantagem" de 1 pinga (experimentei e não gostei), 3 cowboys
e 2 horas de cerveja! Perdi 2 partidas em pouco mais de meia hora e jurei vingança!

Esperei uns 5 anos pela revanche mas valeu a pena. Num sábado à tarde, no sossego de
minha sala de estar, patroa e crianças fora, apenas o amigo Luciano Melo de "platéia"
e eu completamente sóbrio! Hoje o senhor não me escapa, Dr. Walter!
Abri com o peão do rei e ele veio de siciliana. Errou feio no lance 10, outro erro no 12,
um "blunder" no 13 e pimba, lá se foi a madame! Ainda esperneou um pouco antes de
abandonar.

Como não deu nem pra esquentar começamos outra. Esclareço que jogamos sem relógio
a pedido do Dr. Walter (jurei de pés juntos que nunca mais faria isto). Essa partida
começou antes de 16hs e terminou após as 21hs. No meio da partida Luciano foi embora
e a patroa chegou com as crianças. Ele queria me vencer a qualquer custo!

Jogamos uma Inglesa simétrica na qual ele manteve a iniciativa e pressionou muito,
ganhando um peão no meio jogo. Segurei a barra na base das trocas e caímos num final
de bispo da mesma cor. Após algumas manobras e a troca de um par de peões, chegamos
à posição do diagrama abaixo, ponto de partida do post-mortem e principal motivo do
presente artigo:

Dr. Walter Newman x Mário Guimarães
Jogam as brancas

Durante a partida tracei o seguinte plano:
Os peões b6 e h6 impedem a invasão do rei pelas casas negras a5, c5 e g5. O bispo vigia as casas brancas e ataca o peão de h5, mantendo o bispo inimigo na defensiva. O rei permanece em e7 esperando o avanço do peão "f" até f6 (única forma de expulsa-lo) onde estará desprotegido
e poderá ser capturado. Depois basta sacrificar o bispo pelo peão da coluna "b" e o branco ficará apenas com o peão da torre e o bispo da cor errada. O jogo seguiu:

51. Ke5 Be8 52. f4 Bf7 53. f5 Be8 54. f6+ Kf8
55. b5 Bf7 56. Kd6 Be8 57. Kc7 Kf7 58. Kxb6 Kxf6 59. Kc7 Bxb5 60. Bxb5 Kg7 1/2-1/2



Após tanta luta estávamos cansados e sem condições de uma boa avaliação da posição, mas
no dia seguinte analisei com a ajuda de uma engine e mesmo assim não obtive uma resposta
satisfatória. Minha pergunta: A posição do diagrama está empatada ou as brancas vencem?
Talvez as engines atuais tenham a resposta, mas antes quero ouvir a opinião dos amigos.

3 comentários:

Anônimo disse...

Grande Masegui,
Em um primeiro momento acredito que seja empate, com um jogo correto por parte do bando negro.
Meus primeiro lance de Brancs seria: 1.Ke5 Bc6 2.f4 Ba4 3.Bg4 bb3 4.f5 Bc4 5.f6+ re8 6.Bf3 Bd3 6.Re6 Note o bispo branco é escravo da importante diagonal d1-h5. e como o bispo nao pode ajudar a aproximação do rei, creio em tablas.

Gabriel

Masegui disse...

Gabriel,

Nosso amigo do GDCX João Carlos Gatto fez uma análise com uma engine e insiste num ponto importante: as brancas não devem jogar b5. Ainda não olhei com calma, mas devo dizer que quando joguei a partida esse lance me facilitou a vida.
Vou anotar sua sequência e incluir nas análises. Obrigado pela ajuda.
Um grande abraço,
Mário Sérgio

Dark disse...
Este comentário foi removido pelo autor.